terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Batalha


Amarrado e perdido em seus medos
Mauro não sairia ileso.
Ele nunca seria o bastante pra si mesmo.

5 comentários:

Alice disse...

E é tão angustiante sentir-se assim, Lívia. Não sei se é muito corpo para pouca alma ou o contrário. Que haja coragem para o Mauro vencer seus medos e bastar-se em si. E coragem para eu vencer a mim mesma. Fiquei muito feliz com seu comentário.

Beijo de poesia!

mfc disse...

Essa dos medos de si... é uma luta perdida!!

Gaby Soncini disse...

Sensação terrível =/

castanhamecanica disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju

Rodrigo Moura disse...

http://search.4shared.com/postDownload/t-wOUoIQ/mario_quintana_-_quintanares.html