segunda-feira, 29 de abril de 2013


"e por que me permito soltar das mãos que pintaram as estrelas e seguram as lágrimas que caem?"

terça-feira, 23 de abril de 2013

Disco


Ela vivia seus dias
sem jamais cantar em vão.
Com saudades do amado,
esperava encontrá-lo
como quem busca o belo embalo
que há na doçura de um refrão.

5 de janeiro de 2011



Confissão


Quis achar a minha paz na inquietação da sua alma
fui buscar felicidade em sua feição amargurada
 Procurei minha euforia em teus surtos de silêncio
E até hoje não entendo
como é que há tanto tempo
eu me encontro em você.

setembro/2010


domingo, 21 de abril de 2013


mari,

aconteça o que acontecer, você sempre vai entrar na guerra com as armas que a vida lhe deu.
e só.

como usá-las? você não sabe.
para onde apontá-las? tampouco.
mas os desvios de balas, os tiros tortos, os espelhos quebrados, os sete anos de azar serão apenas provas de que você tentou fazer direito, do seu jeitinho.

não desista. não se culpe. não se perca. não se frustre.não esqueça a munição.

você fez o que sabia, o que achava que era o melhor. você foi o que conseguiu.

agora, recomece esse poema épico com a certeza da página em branco.
e eu terei orgulho das suas próximas decisões, enquanto você constrói, dia após dia, seu arsenal de sensatez.

um beijo

mamãe
janeiro de 1982

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Desencontro


ela não quis escutar, ele queria dizer
ele tapou os ouvidos, ela tentou escrever
ela tremia em fúria, ele queria entender
ambos buscavam a paz, ambos queriam saber

ela virou a esquina
ele pegou qualquer trem
ambos sofriam afoitos
ambos não viam ninguém

depois do tempo passado
viram um baú trancado
nem ele
nem ela
abririam o cadeado

o adeus fechou a caixa,
e enfeitou com belas fitas
deixando ali guardadas
as palavras nunca ditas

para sempre.

7 de julho de 2010